Alternativas Éticas™®

“Os Experimentos em Animais ATRASAM o progresso da ciência”

UMA ASSINATURA PARA ACABAR COM A TORTURA! Outubro 19, 2013

Imagem

UMA ASSINATURA PODE FAZER A DIFERENÇA PARA MILHÕES DE ANIMAIS QUE TODOS OS ANOS SÃO TORTURADOS E ASSASSINADOS EM LABORATÓRIOS!

Assinem no seguinte link e convidem todos os vossos amigos e conhecidos a também assinar. Temos até 31 de Outubro para atingir o objectivo.
http://tinyurl.com/stopvivisectionPT

(Nota: O número do cartão de cidadão tem der ser colocado com os dígitos que se encontram à frente do número. Exemplo: 45624589 5 ZX9)

Imagem

Stop Vivissecção – Iniciativa Europeia De Cidadãos Grupo de Portugal
https://www.facebook.com/iecportugal

Evento:
https://www.facebook.com/events/442567795830231/

Vivissecção: Dissecação de animais vivos para estudos
(retirado do filme “Earthlings”)

 

Os números de 2010 Janeiro 3, 2011

Filed under: Ética — мαℓυ™® @ 09:32

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Este blog é fantástico!.

Números apetitosos

Featured image

Um duende das estatísticas pintou esta imagem abstracta, com base nos seus dados.

Um Boeing 747-400 transporta 416 passageiros. Este blog foi visitado cerca de 4,800 vezes em 2010. Ou seja, cerca de 12 747s cheios.

 

Em 2010, escreveu 104 novos artigos, nada mau para o primeiro ano! Fez upload de 89 imagens, ocupando um total de 5mb. Isso equivale a cerca de 2 imagens por semana.

The busiest day of the year was 18 de Novembro with 60 views. The most popular post that day was A legislação brasileira e a proteção aos animais.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram empresastestes.blogspot.com, google.com.br, android-vs-ipad.co.cc, search.conduit.com e orkut.com.br

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por casaco de pele, marcas famosas, still progress cosmeticos, lojas alternativas online e monstros verdadeiros

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

A legislação brasileira e a proteção aos animais Março, 2010

2

GLOSSÁRIO de Produtos de Origem Animal Março, 2010
2 comentários

3

Teste em Animais Fevereiro, 2010

4

Substâncias & Insumos Março, 2010

5

Legislação e Rotulagem Março, 2010

 

Pedigree irá repassar 1 milhão de Reais para ONGS e abrigos em 2010 Maio 17, 2010

Filed under: alimentação,animais — мαℓυ™® @ 15:35

adotar_tudo_de_bom_topo

responsavelO programa PEDIGREE® Adotar é tudo de bom acaba de renovar o compromisso estabelecido em 2009 e irá, pelo segundo ano consecutivo, repassar até R$ 1 milhão para ONGs e abrigos que cuidam de cães abandonados. Para os próximos meses de 2010, a campanha espera tornar-se ainda mais forte e já projeta uma série de ações robustas voltadas para mudar a triste realidade dos mais de 20 milhões de cães abandonados no país.
Com foco na conscientização e educação da população para a guarda responsável, a campanha também estenderá suas ações de comunicação. “Vamos intensificar nosso programa de comunicação 360 graus, que incluirá novas atividades de conscientização na internet, TV, cinema, materiais de ponto de venda, entre outros”, revela Cynthia.  (foto ao lado)
Parte da campanha mundial da marca PEDIGREE®, a ação se estabeleceu como o principal programa nacional para a sensibilização, conscientização e mobilização da população, apoio aos abrigos que resgatam cães e promovem a adoção consciente e para a educação da população sobre guarda responsável. Desde o início do programa foram 10.558 adoções de cachorros abandonados promovidas diretamente pelo programa PEDIGREE® Adotar é tudo de bomUma média superior a 1 cão adotado por hora.
Uma série de ferramentas auxiliares também foram criadas na internet. Com a ajuda direta dos internautas, a campanha doou 100 mil refeições para cães que vivem em abrigos, resultado de uma ação do filme Ajude-nos a Ajudá-los na internet.. Para cada vez que o vídeo fosse assistido, PEDIGREE® se comprometia em doar 1 prato de alimento para os cães que vivem nos abrigos participantes. Em menos de 6 dias, foram mais de 100 mil de visualizações do vídeo no YouTube.

Adotar é tudo de bom!

Na sua cidade, com certeza, irá encontrar Associações, dê uma força à elas!

 

MTV Debate sobre rodeios Maio 16, 2010

Filed under: debates,rodeios,vídeos — мαℓυ™® @ 15:53

Está na internet a íntegra do MTV Debate de semana passada, no qual o assunto era rodeios.

RODEIO
Os participantes do lado do bem, pelos animais, foram Leandro Ferro, fundador do Ativismo.com e do OdeioRodeio.com; o advogado animalista Carlos Cipro; e o vereador João Farias, que conseguiu proibir (parcialmente) rodeios em Araraquara este ano.
Pelo lado pró-rodeio, participaram Tião Procópio, juiz de rodeios; Adriano Morais, peão de rodeios famoso; e o professor da UNESP Orivaldo Tenório.
Abaixo os links do programa, que foi gravado dividido em cinco partes:
Em vez de eu dar um parecer como foi, prefiro que você mesm@ veja e tire suas próprias conclusões.
 

Pelo fim da barbárie: Graças à pressão mundial, massacre de focas deixa de ser rentável no Canadá

Filed under: crueldade,focas,massacre,matança — мαℓυ™® @ 12:36

Um dia depois que a Ministra da Pesca canadense, Gail Shea, anunciar a extensão da temporada de caça de focas até o dia 31 de maio, a porta-voz do Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal (em inglês, IFAW), Sheryl Fink, disse que, segundo suas informações no momento, há apenas um barco caçando focas.
Desde que teve início a temporada de caça às focas em março, pouco menos de 100 barcos participaram da caçada, quando em anos anteriores, foram mais de 500 barcos.

Foto: AnimaNaturalis
Sheryl explicou que a principal razão para a fraca participação na caça para este ano é o preço baixo que os pescadores recebem através da venda da pele de focas, que atualmente está em 21 dólares. Embora o preço seja maior do que em 2009, Sheryl disse que a caça não é rentável para a maioria dos pescadores se o preço das peles fica abaixo de 25 dólares.
Sheryl disse também que o anúncio da prorrogação da caça às focas feito pela ministra Gail Shea é fictício, porque a legislação canadense prevê que a época de caça termina em 15 de junho e não 15 de maio, como disse o Ministério das Pescas.
Este ano, o Canadá teve um aumento do contingente de focas que poderiam ser capturadas pelos pescadores canadenses, porém, segundo a revista “Embaixada”, a associação de caçadores de focas tinham solicitado uma redução deste número.
Os pescadores canadenses mataram este ano cerca de 67 mil das 380 mil focas que “poderiam” caçar, de acordo com Sheryl Fink. Mesmo os próprios pesquisadores do Ministério das Pescas disseram que para respeitar o plano de manejo da espécie deveria haver uma redução de “pelo menos 175 mil animais”.
Sheryl disse que o aumento da cota da caça e o anúncio da prorrogação para 31 de maio é uma “manobra política do governo canadense para ganhar votos”, bem como uma tentativa de reerguer-se diante dos países europeus, que proibiram a importação de produtos oriundos da matança de focas.
“Existe a impressão de que parte disto tudo é provocar a União Europeia em resposta à proibição, mas que não beneficiam nem o Canadá nem o setor da caça às focas”, disse Sheryl.
Sheryl também comentou sobre a tentativa do Ministro da Economia canadense, Jim Flaherty, de que seus colegas do G7 comessem carne de foca durante a reunião que o grupo realizou na cidade do Ártico canadense, Iqaluit, em fevereiro.
Embora Flaherty tenha feito o convite Flaherty, nenhum dos ministros quis experimentar a carne de foca, o que Sheryl Fink interpreta como um sinal de rejeição à postura canadense.
Esperamos que o Canadá se conscientize que a matança de animais é uma prática cruel ultrapassada, cada vez menos aceita pela sociedade mundial.
O número de pessoas que se recusa a consumir peles ou qualquer outro produto oriundo da matança de focas é cada vez mais crescente. Sem dúvida, a pressão da sociedade contribuirá para que o Canadá ponha um fim a esta barbárie de uma vez por todas.
Com informações de AnimaNaturalis
via ANDA
 

Quer ajudar os animais? Maio 14, 2010

Filed under: Defesa Animal,ong,proteção animal — мαℓυ™® @ 18:26

Eu quero ajudar os animais! O que eu faço??


Existem dezenas de bilhões de animais sofrendo consideravelmente enquanto você lê este blog. E muito pouca gente fazendo alguma coisa por eles. Qualquer iniciativa de ajudar os animais deve, então, ser bem aproveitada, informada e otimizada.

A primeira (e mais fácil, consome menos tempo) coisa que você pode fazer é mudar os seus hábitos de consumo. É verdade, todo hábito é um pouco difícil de mudar, mas se você quer fazer algo pelos animais, certamente essa opção lhe custará menos do que se dedicar a algum trabalho voluntário.

Por “hábitos de consumo” entenda-se principalmente os alimentares ( seja vegetariano), mas também o hábito de comprar cães ou gatos em pet shops (não compre – adote), o nojento ato de abandoná-los quando tornam-se inconvenientes, a visita a um rodeio ou a um circo com animais, o engaiolamento de aves e até mesmo o pagamento da entrada do jardim zoológico. ( seja ético)

Portanto, esta primeira forma de ajudar os animais consiste, simplesmente, em deixar de ser cúmplice. Quase todos nós somos atores da exploração animal. Você pode – e deve – deixar de ser um ator da exploração animal, se quer ajudá-los. Então, a primeira oportunidade é a de deixar de fazer (o mal).

A segunda é a de fazer (o bem)Nesse caso existe um mundo de ativismo a ser descoberto, uma diversidade imensa de coisas que se pode fazer – desde ações independentes e inseridas no seu dia-a-dia (falar sobre o assunto para as pessoas, educar com o seu exemplo vegetariano, adotar animais, doar para ONGs atuantes, etc.) até ações em grupo e mais planejadas (panfletagem, voluntariado em ONGs, participação em eventuais manifestações, resgate e adoção de cães e gatos, etc.). 

Uma outra forma independente e eficiente de fazer algo pelos animais é produzir materiais que provoquem a reflexão a respeito da situação dos animais neste planeta, e soltá-los na internet. Pra quem gosta de escrever, programar, desenhar ou editar vídeos e imagens, é uma ótima idéia.

São importantes as informações a respeito de como se tornar vegetariano sem prejuízos nutricionais, como lidar com os clichês pró-exploração animal, como entrar em contato com ONGs que se encaixem no que você gostaria de fazer, entre outras informações de utilidade prática. Mas enquanto isso, você pode ir pesquisando no Google.



Texto de Argumento Animal e adaptado por mim.

 

15 de maio – Dia Internacional da Objeção de Consciência

Filed under: Objeção de Consciência — мαℓυ™® @ 12:55




Para muitos calouros que sonham se tornar médicos, veterinários, biólogos,
farmacêuticos, nutricionistas, dentistas, entre outros, não é fácil encarar
uma aula onde animais são usados como cobaias em “prol do ensino” – cria-se
assim um conflito: por um lado a graduação tão esperada e por outro, a
própria consciência que condena a prática da faculdade.

No meio desse impasse é o aluno que acaba cedendo na maioria da vezes.
Muitos não  sabem como agir ou a quem recorrer, seguem o que a grade
curricular dita. Mas existe sim uma saída que pode não ser simples, mas é
tão importante que é assegurada pela constituição e tem até data para
comemorar: 15 de maio, o *Dia Internacional da Objeção de Consciência*.
Mas o que é objeção de consciência no ensino? É um direito previsto na
Constituição que garante ao aluno, como cidadão, se recusar a obedecer
regras que vão contra seus princípios, tendo o direito de se manter fiel às
suas crenças e convicções sem que isso prejudique a vida acadêmica. Em suma,
a democracia.

*E na prática?
Os jovens Róber Bachinski e Juliana Itabaiana não são apenas apaixonados
pela biologia, os dois viraram notícia ao ganharem na justiça o direito da
objeção de consciência. Róber foi o primeiro aluno brasileiro a
conquistá-la, em 2007, quando o então estudante de biologia da Universidade
Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) esbarrou na intransigência de alguns
professores do 4° semestre que não aceitavam sua opinião.
“Expliquei os motivos que me faziam não querer participar daquelas aulas
(motivos éticos por defender o interesse básico dos animais), mas negaram.
Tentei novamente através de e-mails, mas eles mantiveram a posição. Então
recorri ao colegiado do curso, com uma objeção de consciência por escrito e
protocolada na universidade”, relembrou Róber.
A batalha não foi fácil. Na época a universidade negou o pedido do estudante
que entrou com um mandado de segurança para garantir o direito à objeção de
consciência. A primeira sentença foi favorável, com um parecer esclarecedor
e didático. O segundo foi mais tradicional, mas a conhecida lentidão do
judiciário foi favorável nesse caso e Róber terminou seus estudos
respeitando seus valores.
Mas o gesto incentivou outros estudantes que passam pela mesma situação. Foi
o que aconteceu o ano passado com a carioca Juliana Itabaiana, aluna do
curso de biologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que
conseguiu uma liminar dispensando-a de assistir aulas práticas com uso de
animais.
“No meu segundo período tive um professor  que foi irredutível, então abri
um processo interno na própria faculdade, mas foi negado. Nessa época entrei
em contato com o Róber, ele me deu muita força e me indicou um advogado”,
conta Juliana.
Há 11 anos motivada por alunos que assim como Róber e Juliana não
concordavam em como os animais eram tratados, a *ARCA Brasil *foi mais uma
vez pioneira e lançou a campanha Ensino Sem Dor,
em parceria com a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da
USP – que já aboliu o uso de animais vivos para o aprendizado de técnicas
cirúrgicas.
Nos Estados Unidos, mais de 70% das faculdades de Medicina não utilizam
animais,  na Itália a utilização de métodos alternativos chega a 71% em
instituições de ensino superior e na Inglaterra e Alemanha, nenhuma
instituição pode usar animais nas aulas.

No Brasil, a Faculdade de Medicina do ABC foi a primeira a proibir o uso de
animais vivos na graduação. “No inicio houve muita resistência na
implantação dos métodos alternativos ou substitutivos. Os alunos tinham
adquirido o preconceito transmitido por professores conservadores. Depois de
muita discussão e palestras de orientação a resistência foi amenizada e hoje
vivemos em equilíbrio com as opiniões divergentes”, analisou uma das
principais responsáveis por essa conquista, a Prof. Nédia Maria Hallage.
Questionada sobre a qualidade do ensino a professora é enfática. “Com
certeza não houve prejuízo no ensino” e esclarece, “nas disciplinas do curso
básico utilizamos principalmente métodos digitais, temos programas de
computadores em diferentes áreas. Nas disciplinas cirúrgicas utilizamos a
Técnica de Larsen para fixação e conservação de cadáveres de animais com
morte natural.”

*Você também pode
Para alunos que também querem entrar com o pedido de objeção de consciência,
lembre-se que o percurso não é tão fácil. “Foi uma decisão muito difícil na
época, sabia das represálias que aconteceriam, das reações negativas dos
professores e de muitos colegas, mas hoje avalio tudo como muito positivo”,
assume Róber, que hoje é referência no assunto – a UFRGS está modificando
muitas aulas para deixar de usar animais.
Apesar de ter trancado a faculdade por problemas financeiros, Juliana
encoraja outros alunos que pensam como ela. “Não se acovardem! As
retaliações virão, mas se nós não tivermos essa coragem não sairemos do
lugar”.
Para acelerar os passos lentos do ensino, a Prof. Nédia indica o que os
docentes devem fazer para melhorar a situação. “Precisamos de professores
que lutem para esta mudança de paradigma em cada curso que ainda insiste em
manter o ensino com uma prática desumana e desprovida de ética”.
O be-a-bá para uma mudança de atitude e tomada de consciência já existe em
nosso país, o que falta é investimento das faculdades para adquirirem
métodos alternativos, informação por parte dos alunos e dos professores para
evitar preconceitos e principalmente, coragem para mudarmos a realidade.
“Os animais não existem em função do homem, eles possuem uma existência e um
valor próprios. Uma moral que não incorpore esta verdade é vazia. Um sistema
jurídico que a exclua é cego.” (Tom Regan, autor de Jaulas Vazias)
————————————————————————— ————————————————————–
*Veja “NÃO MATARÁS” – www.youtube.com/watch?v=zKLjT3s_hCI*
O vídeo trata da utilização de animais no ensino e na pesquisa. – Instituto
Nina Rosa  www.institutoninarosa.org.br  *
——————————
já se cadastrou no www.cadastroveg.org  ? que tal saber quantos somos?

Lista de Discussão Veganismo e Vegetarianismo – USP
envie mensagens para: vegs_usp@googlegroups.com
página da lista: http://groups.google.com.br/group/vegs_usp
comunidade no Stoa: http://stoa.usp.br/vegs
comunidade no Orkut: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=950633